OS GATOS FORAM AO ENCONTRO DE TEX WILLER

No passado mês de Abril, o Clube Tex Portugal começou a festejar, com a sua 5ª Mostra, no Museu do Vinho Bairrada (Anadia), os 70 anos de publicação ininterrupta da revista Tex Willer, da editora italiana Bonelli, e convidou Jorge Magalhães (que não pôde estar presente) e Catherine Labey a assistir ao evento.

Para agradecer esse convite, Catherine Labey decidiu desenhar um pequeno “pastiche” de Tex… onde não podiam faltar os gatos, ou seja, os animais de que ela mais gosta e que mais venera desde a infância! Uma brincadeira, com o seu traço sui generis, em homenagem a um dos maiores heróis da BD western.

E, como é óbvio, ofereceu esses originais (que seguidamente reproduzimos) a José Carlos Francisco, presidente do Clube Tex Portugal e alma mater do culto texiano no nosso país, onde ganha cada vez mais adeptos.

Que saibamos, nunca apareceram gatos numa história de Tex… A prova disso é que até Kit Carson, o fiel amigo do nosso herói, se admirou!

(A propósito desta afirmação, obviamente temerária da nossa parte, ver nos comentários a resposta de José Carlos Francisco, repondo a verdade dos factos).

Advertisements

CARNAVAL NO FAR-WEST… HÁ 70 ANOS!

O Carnaval já passou… embora o Rei Momo continue a folgar noutras ditosas e tropicais paragens onde a folia desta quadra não se limita a quatro dias!

Mas é sempre tempo de recordar as nossas publicações infanto-juvenis e os seus melhores colaboradores artísticos — como, por exemplo, Jorge Brandeiro (Rembrandas), que nesta ilustração d’O Papagaio nº 669 teve uma ideia inspirada: um Carnaval no Far West, com dois namorados vestidos a rigor!

Temos a certeza de que a sua sugestão foi bem acolhida pelos leitores d’O Papagaio e de que no Carnaval de 1948 se viram muitos casais infantis mascarados à moda do Far West, elas de saias rodadas e eles com chapéus de abas largas, cinturões recheados de balas e revólveres a espreitar dos coldres… porque no pitoresco cenário das fantasias carnavalescas manda a tradição que os cowboys andem sempre armados, mesmo quando passeiam com as namoradas. E no velho Oeste também era assim!

“OS TÚNICAS AZUIS” NA GUERRA DA SECESSÃO – VOLUME 15 (E ÚLTIMO): “A RECRUTA DOS AZUIS”

publico-tunicas-azuis-15-1461

publico-tunicas-azuis-15-2-462

Uma excelente colecção, numa nova parceria Público/Asa, com 15 episódios (9 deles inéditos), em volumes cartonados e a preço módico, de uma das mais famosas séries cómicas belgas, aliando o humor à veracidade histórica, que os apreciadores desta escola (e destes autores), assim como os fãs do western, não devem perder.

“OS TÚNICAS AZUIS” NA GUERRA DA SECESSÃO – VOLUME 14: “MOTINS EM NOVA IORQUE”

tunicas-azuis-14-377

Uma excelente colecção, numa nova parceria Público/Asa, com 15 episódios (9 deles inéditos), em volumes cartonados e a preço módico, de uma das mais famosas séries humorísticas belgas, aliando o humor à veracidade histórica, que os apreciadores desta escola (e dos seus autores) não devem perder.

“OS TÚNICAS AZUIS” NA GUERRA DA SECESSÃO – VOLUME 13: “O OUVIDO DE LINCOLN”

publico-tunicas-azuis-13

Uma excelente colecção, numa nova parceria Público/Asa, com 15 episódios (9 deles inéditos), em volumes cartonados e a preço módico, de uma das mais famosas séries humorísticas belgas, aliando o humor à veracidade histórica, que os apreciadores desta escola (e dos seus autores) não devem perder.

“OS TÚNICAS AZUIS” NA GUERRA DA SECESSÃO – VOLUME 12: “A LOUCURA DOS AZUIS”

publico-tunicas-azuis-12

Uma excelente colecção, numa nova parceria Público/Asa, com 15 episódios (9 deles inéditos), em volumes cartonados e a preço módico, de uma das mais famosas séries humorísticas belgas, que os apreciadores desta escola não devem perder.

JORDI BERNET E “CLARA DA NOITE”

 Uma divertida homenagem a Tex e Kit Carson

Hoje — com uma profunda vénia ao blogue do Tex, de onde reproduzimos imagens e texto —,  vamos dar a conhecer uma homenagem (numa divertida história de duas páginas) do conceituado desenhador espanhol Jordi Bernet (que, além do seu Tex Gigante, é conhecido também pelos seus trabalhos nas séries Torpedo e Jonah Hex) ao célebre ranger Tex Willer, criado pela dupla G. L. Bonelli e Aurelio Galleppini (assim como ao seu colega Kit Carson), extraída de um álbum de Clara da Noite.

jordi-bernet-clara-western-story-pagina-1

jordi-bernet-clara-western-story-pagina-2

Como se pode comprovar nestas duas páginas, Jordi Bernet i Cussó, natural de Barcelona, cidade onde nasceu em 14 de Julho de 1944, e filho de outro célebre desenhador, Miguel Bernet Toledano, agrega nos seus desenhos um ligeiro toque caricaturesco na descrição gráfica das personagens, realizando, além disso, um desenho que reduz os elementos indispensáveis a uma expressão mínima, e em que o contraste entre preto e branco adquire um protagonismo primordial.

jordi-bernet-no-seu-estudioNote-se que enquanto no episódio ”O Homem de Atlanta” (editado no Brasil pela Mythos Editora, em Março de 1999, no nº 1 da colecção Tex Gigante, originá- ria da série italiana Albo Speciale nº 10, conhecida popularmente por “Texoni“), com a participação da cantora Lola Dixieland, era Kit Carson a fazer as despesas humorísticas de Claudio Nizzi, nestas páginas é, por sua vez, Tex a balbuciar confusas palavras…

Ainda a propósito de Clara da Noite, uma jovem prostituta de bom coração, a personagem é uma criação de Jordi Bernet [na foto], Carlos Trillo e Eduardo Maicas para as páginas da El Jueves, revista de humor espanhola, onde aparece desde 1992. Inspirados na rainha das pin-ups, Bettie Page, os três autores imaginaram uma mulher tão esperta quanto curvilínea, em histórias que equilibram o humor com toques de crítica social.

(Texto e imagens reproduzidos, com pequenas alterações, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas).