PROGRAMA OFICIAL DA 4ª MOSTRA DO CLUBE TEX PORTUGAL

PROGRAMA OFICIAL

da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal

Data: 29 de Abril (sábado) e 30 de Abril (Domingo)
Horário:
11h00 – 19h00 horas
Local: Museu do Vinho Bairrada – Anadia
Entrada:
GRATUITA (com direito a entrada gratuita na Exposição Permanente, designada por Percursos do Vinho e exposta ao longo de seis salas temáticas, com peças de valor arqueológico, etnográfico e técnico, reunidas com a colaboração de diversos vitivinicultores, entidades locais e nacionais, e para as Exposições Temporárias, onde se revelam a pintura e o desenho de Gabriela Carrascalão — Mana Timor — e algumas das melhores caricaturas e arte digital de Rui Duarte — Mr. Vin e Companhia).

Tema: Esta quarta Mostra do Clube Tex Portugal tem como ponto alto a presença de dois dos mais consagrados autores italianos de banda desenhada, Andrea Venturi e Maximiliano Leonardo (Leomacs), que vêm expor trabalhos de sua autoria relacionados com a série Tex, da Sergio Bonelli Editore.

Andrea Venturi e “Os Pioneiros” Uma dúzia de pranchas do autor, seleccionadas pelo próprio, que pretendem dar a conhecer aos visitantes, no seu formato original, algumas da mais belas páginas de uma das mais elogiadas histórias da colecção Tex Gigante.

Leomacs e “Ouro Negro” — Uma dúzia de pranchas do autor, seleccionadas também pelo próprio, que pretendem dar a conhecer aos visitantes da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, no seu formato original, algumas das mais belas páginas de uma das mais recentes e inusitadas histórias de Tex e que complementam o lançamento desta obra em Portugal: Ouro Negro”, através do selo da Polvo.

Cartazes oficiais da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal

Programa

Sábado, 29 de Abril
15h00 Inauguração Oficial da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal (Auditório);
15h45 Espumante de Honra, aberto aos convidados e público presente;
16h00 Apresentação do livro “Ouro Negro” (Polvo), de Gianfranco Manfredi e Leomacs, com a participação de Leomacs, Rui Brito e Mário João Marques, sob moderação de João Miguel Lameiras (Auditório);
16h30 — Sessão de autógrafos com Andrea Venturi e Leomacs, disponível para todo o público presente, durante a qual os autores terão oportunidade de assinar os desenhos feitos por cada um, especialmente para cartazes da Mostra. Para quem adquirir o livro “Ouro Negro”, o desenhador Leomacs autografará em exclusivo cada exemplar;
18h00  Desenho ao vivo com Andrea Venturi e Leomacs, EXCLUSIVO para sócios do Clube Tex Portugal (desenhos para não sócios somente depois de atendidos os pedidos dos sócios presentes);
20h30 Jantar/Tertúlia com a participação de Andrea Venturi e Leomacs (Restaurante “Nova Casa dos Leitões”).

Domingo, 30 de Abril
11h00 — Desenho ao vivo com Andrea Venturi e Leomacs, EXCLUSIVO para sócios do Clube Tex Portugal (desenhos para não sócios somente depois de atendidos os pedidos dos sócios presentes);
12h00 Sessão de autógrafos com Andrea Venturi e Leomacs;
13h00 Almoço/Tertúlia com a participação de Andrea Venturi e Leomacs (Restaurante “Curiagrillbar”).

15h00 — Conferência Tex com a participação de Andrea Venturi, Leomacs, Dorival Vitor Lopes e Júlio Schneider, sob moderação de Pedro Cleto (Auditório);
16h00  Sessão de autógrafos com Andrea Venturi e Leomacs;
17h00 — Desenho ao vivo com Andrea Venturi e Leomacs. EXCLUSIVO para sócios do Clube Tex Portugal (desenhos para não sócios somente depois de atendidos os pedidos dos sócios presentes);
18h15 — Festa de Encerramento.

Convite para a Inauguração da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

MAIS UM NÚMERO DO “FANDWESTERN”

Imparável, cheio de energia e de uma regularidade impressionante, na sua actividade de faneditor, José Pires lançou este mês mais dois números dos seus excelentes fanzines Fandclassics e Fandwestern, o primeiro dedicado, na fase actual, à famosa série Terry e os Piratas, criada pelo mestre Milton Caniff em 1934, e que neste fanzine irá ter reprodução integral, dividida por 24 volumes, com 70 páginas cada. Um esforço digno de apreço, tanto mais que se trata do melhor período desta série, quase inédito no nosso país, e que José Pires conta divulgar no espaço de dois anos!

Quanto ao Fandwestern, fanzine mais antigo e de prestigiosas tradições, publica neste número outro episódio da série fetiche de José Pires: Matt Marriott, a inolvidável criação de Tony Weare (desenhos) e James Edgar (argumento), estreada entre nós no Mundo de Aventuras nº 437, de 2/1/1958, com o nome do herói alterado para Calidano, o Justiceiro.

O certo é que esse bizarro nome pegou e a série fez carreira no Mundo de Aventuras e noutras publicações da mesma editora (onde sofreu “tratos de polé”, devido ao pequeno formato dessas revistas), até ter direito a aparecer com o seu verdadeiro título, quase uma década depois, no nº 845 do Mundo de Aventuras.

Diga-se desde já que este número do Fandwestern tem um interesse acrescido, pois apresenta um dos últimos episódios desenhados por Tony Weare, na sua maioria ainda inéditos entre nós. Mais uma performance de José Pires que, no caso de Matt Marriott, já anunciou também a sua publicação integral, em 68 volumes, editando a propósito (para os leitores mais curiosos) um catálogo com todas as capas desta série, além das primeiras tiras e dos títulos originais dos 68 episódios que constituem a colecção.

(Nota: ver mais informações sobre os fanzines publicados por José Pires noutros blogues da nossa Loja de Papel: O Gato Alfarrabista, A Montra dos Livros e O Voo d’O Mosquito).

TEMAS DE FILMES: RUMO AO DESCONHECIDO, PELAS TRILHAS DO OESTE

Um clássico entre os maiores sobre a conquista do Oeste, A Caravana Perdida (1951) converteu-se num dos filmes preferidos de John Ford (1895-1973) — de quem era a história original, adaptada em argumento cinematográfico por Frank Nugent (seu habitual colaborador) e (o próprio filho) Patrick Ford. Tendo assumido a produção com Merian C. Cooper, para Argosy a cargo da RKO, Ford inspirou-se em factos reais, ocorridos por 1849, almejando — como vectores dramáticos/narrativos — a simplicidade e as emoções, numa magistral emergência romântica e optimista. Espíritos rudes, força telúrica.

A infinita matriz visionária do cineasta é estilizada pela fotografia de Bert Glennon, em prodigioso preto e branco, tendo por contraponto palpitante a música de Richard Hageman, ainda com recurso aos Sons of the Pioneers. Eis todo o tipo de pessoas, de anos e sexos vários, sob humores e perigos variegados. Como se o próprio coração da América, premente e genuíno, se revelasse pois — numa pulsão latente, intemporal, da natureza humanista com a paisagem arrebatadora.

(Nota: artigo de José de Matos-Cruz publicado em Imaginário #658, de onde o reproduzimos, com a devida vénia)

A MAGNÍFICA ARTE DE LEOMACS NA 4ª MOSTRA DO CLUBE TEX PORTUGAL

Nos próximos dias 29 e 30 de Abril realizar-se-á na cidade de Anadia, capital da região bairradina, a 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, onde obviamente não deixará de estar presente em grande destaque a personagem Tex Willer, não só pelas duas exposições associadas ao Ranger, que terão lugar no Museu do Vinho Bairrada, mas também pela presença dos conceituados desenhadores italianos Andrea Venturi e Leomacs.

Tex num duelo na Main Street de Anadia, em pleno século XIX, na belíssima arte de Leomacs.

Como forma de agradecimento por este convite português, Leomacs, pseudónimo de Massimiliano Leonardo, desenhou o Tex em Portugal, mais precisamente num duelo na Main Street de Anadia, em pleno século XIX, tornando assim esta quarta presença do Ranger na capital da Bairrada — uma região rica e afamada pelo leitão, mas também pela produção de apreciados espumantes —, muito mais especial, como podemos ver num desenho que o blogue português do Tex divulgou para o mundo, mas sobretudo para os apaixonados Texianos portugueses, em mais um inédito e exclusivo mundial, desenho esse que será oferecido a todos os fãs e coleccionadores do Ranger que comparecerem em Anadia nos dias 29 e/ou 30 de Abril.

(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para ver as imagens em toda a sua extensão, clique duas vezes sobre as mesmas).

Leomacs, na sua prancheta, a desenhar Tex. Em baixo, cartaz da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal.

“INOCENTE DE QUALQUER CRIME!”

Página ilustrada por Ruggero Giovannini (1922-1983) e publicada na contracapa do Mundo de Aventuras nº 856, de 17 de Fevereiro de 1966.

 BREVE BIOGRAFIA DE GIOVANNINI

Giovaninni, um dos “monstros sagrados” do fumetto italiano, mestre do claro-escuro, com um grande domínio do movimento e da técnica narrativa, mas sempre insatisfeito, em busca da síntese gráfica e do dinamismo na estilização, iniciou a sua prolífica carreira ainda muito jovem nas páginas do semanário católico Il Vittorioso, com histórias de todos os géneros (excepto a ficção científica), que nas suas mãos pareciam adquirir uma estética nova, realçada pelo vigor expressionista do traço.

Muitas delas figuram também no sumário do Cavaleiro Andante (incluindo Álbuns e Números Especiais) e de outras revistas portuguesas, como Mundo de Aventuras, Condor, Titã, Colecção Alvo, Condor Popular — onde foi igualmente vasta a sua produção de westerns dignos de antologia, como “As Grandes Águas”, “A Ultima Fronteira”, “A Vingança de Mocassin Rosso”, “Sombras Selvagens”, “Águia Veloz”, “Em Nome da Lei”, entre outros.

Influenciado pelo estilo de alguns desenhadores americanos, sobretudo Will Gould, Frank Robbins e Milton Caniff, Giovaninni distinguiu-se entre os autores de fumetti da sua geração pela facilidade em retratar ambientes históricos, género em que viria a especializar-se, tanto no Il Vittorioso como em revistas inglesas, para as quais começou a trabalhar nos anos 60, produzindo inúmeras criações com um traço sempre estilizado e a sua refinada técnica do preto e branco.

Entre as suas “coroas de glória” desse período destacam-se as adaptações de vários clássicos literários, como Ben-Hur, Os Três Mosqueteiros e O Último dos Moicanos, e em particular a série Olac, o Gladiador, onde ficou gravada a sua mestria no estilo realista e nas narrativas de temática histórica. Olac foi um dos heróis mais célebres da BD inglesa e fez também as delícias dos leitores do Mundo de Aventuras, que publicou vários episódios.

Durante os últimos anos de vida, Giovaninni colaborou no Il Giornalino, outra célebre revista italiana, para a qual produziu excelentes séries como Capitan Erik, Ricky e I Biondi Lupi del Nord. Morreu prematuramente na sua cidade natal, Roma, em 5 de Março de 1983.

Aqui têm três capas d’O Falcão alusivas a histórias de cowboys que Giovaninni desenhou nos anos 60 e publicadas originalmente na revista inglesa Thriller Picture Library.

A DESLUMBRANTE ARTE DE ANDREA VENTURI NA 4ª MOSTRA DO CLUBE TEX PORTUGAL

Como já anunciámos, nos próximos dias 29 e 30 de Abril realizar-se-á na cidade de Anadia, capital da região bairradina, a 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, onde obviamente não deixará de estar presente, em grande destaque, a personagem Tex Willer, não só pelas duas exposições associadas ao Ranger, mas também pela presença dos conceituados desenhadores italianos Andrea Venturi e Leomacs.

Como forma de agradecimento por este convite português, Andrea Venturi desenhou Tex Willer e Kit Carson em Portugal, mais precisamente junto ao Monumento dos Mortos da Grande Guerra, na Praça Visconde Seabra, em Anadia, e com o edifício da Câmara Municipal ao fundo, tornando assim esta quarta presença do Ranger na capital da Bairrada — uma região rica e afamada pelo leitão, mas também pela produção de apreciados espumantes — muito mais especial, como podemos ver de seguida num desenho que  o blogue português do Tex divulgou para todo o mundo, mas sobretudo para os apaixo- nados Texianos portugueses, em mais um inédito exclusivo mundial. Esse magnífico desenho será oferecido a todos os fãs e coleccionadores do icónico Ranger que comparecerem em Anadia, nos dias 29 e/ou 30 de Abril, e retrata também o “velho” Kit Carson em terras portuguesas, já que pela primeira vez o célebre “Cabelos de Prata” acompanha o seu pard Tex Willer ao nosso país.

Tex Willer e Kit Carson em Anadia, Portugal

Como curiosidade e para efeito de eventual comparação deste magnífico desenho do autor italiano, mostramos a fotografia em que Andrea Venturi se inspirou para a realização desta homenagem que quis prestar à bela e acolhedora cidade de Anadia.

O monumento localizado no jardim da cidade, em plena Praça Visconde Seabra, é dedicado aos soldados do concelho de Anadia mortos no decurso da 1ª Grande Guerra Mundial. Foi projectado por António Joaquim da Conceição, artista natural de Ferreiros, Anadia, e inaugurado a 8 de Dezembro de 1929, com a seguinte inscrição: “Aos mortos da Grande Guerra. O Concelho de Anadia.

Na magnífica ilustração de Andrea Venturi também se vê, ao fundo, um dos edifícios mais emblemáticos da encantadora capital bairradina: a Câmara Municipal, que em anos anteriores também foi desenhada por Pasquale Del Vecchio e Stefano Biglia [convidados, respectivamente, da 1ª e 2ª Mostras do Clube Tex Portugal, realizadas em 2014 e 2015].

Poucas são as cidades, inclusive em Itália, que se podem orgulhar de já ter sido visitadas por Tex e Kit Carson. Por isso, caro pard texiano, não deixe de comparecer em Anadia, entre os dias 29 e 30 de Abril, para conviver com Andrea Venturi e muitos fãs e coleccionadores do Ranger que já confirmaram a sua presença, alguns até vindos do estrangeiro, e para ganhar o fantástico desenho de Tex e Carson em Anadia, devidamente autografado!

(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)