EM 2018 TEX FESTEJARÁ 70 ANOS

Conforme já foi anunciado pelo blogue português do Tex (notícia a que também fizemos referência), coube ao veterano autor Giovanni Ticci, mestre do preto e branco e das cores — como demonstram tantos dos seus magníficos trabalhos (de que aqui fica mais um exemplo) —, a grata e honrosa tarefa de realizar a edição especial comemorativa do 70º aniversário de um dos mais emblemáticos heróis da BD western, edição essa totalmente colorida e que será publicada no próximo ano, com um brinde extra que decerto aguçará o “apetite” dos coleccionadores: uma caixa arquivadora.

Além disso, a aventura contida nessa edição especial narrará factos inéditos do passado de Tex, voltando a mergulhar num rico filão cheio de “pepitas” escondidas, que desperta sempre o interesse dos leitores. Mais um histórico marco da longa saga texiana iniciada em Setembro de 1948, numa modesta revista italiana, mas que depressa se impôs pelas características ímpares do seu herói, “fruto da mente criativa de Gian Luigi Bonelli e da pena mágica do mestre Aurelio Galleppini!” (citando José Carlos Francisco, mentor do Tex Willer Blog e presidente do Clube Tex Portugal).

A VINHETA “PORTUGUESA” DA HISTÓRIA DE TEX “OURO NEGRO“ (POLVO EDITORA)

Ouro Negro, o quarto volume da colecção TEX ROMANCE GRÁFICO, da Polvo Editora, chancela portuguesa do editor Rui Brito, cujo lançamento nacional ocorreu no passado dia 29 de Abril, integrado na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, foi originalmente publicado em duas edições na série regular italiana de Tex, mais precisamente nos números 654 e 655, dados à estampa pela Sergio Bonelli Editore em Abril e Maio de 2015.

Trata-se de uma aventura de Tex escrita por Gianfranco Manfredi e desenhada por Leomacs (pseudónimo de Massimiliano Leonardo), onde a dupla Tex Willer e Kit Carson, depois de agraciada com a “Rosa Amarela do Texas”, é nomeada pelo Governador desse Estado americano para colocar um ponto final nas actividades do famigerado Bob Braddock, que controla a seu bel-prazer a cidade de Hellsfire, e para investigar o irmão deste, Jonas, um homem de negócios do petróleo, proprietário dos ricos campos de Oil Springs. Na sua chegada à cidade, Willer e Carson assistem à ousada detenção de Bob, pelo novel xerife Randy Nelson. Jonas, no entanto, contrata o habilidoso advogado Timothy Wilson para defender o irmão.

Entre tiroteios, aldeias arrasadas e testemunhas corruptas, entre as quais se encontra a sensual Rachel, Tex irá também desempenhar o papel de acusador no julgamento de Bob, presidido pelo temível juiz “enforcador” Felsen. Restava apenas tratar de Jonas, o que virá a acontecer num memorável e cinematográfico acerto de contas final, por entre as torres de extracção petrolíferas.

Em Portugal, foi publicado num único volume e num formato maior do que o original, com a particularidade de ter uma vinheta “portuguesa”, pois uma das vinhetas da história foi redesenhada propositadamente por Leomacs para a edição nacional e com a devida aprovação e parabenização da Sergio Bonelli Editore, pelo que é a única edição a nível mundial a apresentar essa vinheta, que mostramos numa das ilustrações deste texto.

A vinheta foi redesenhada porque houve um erro de Leomacs que não foi detectado aquando da publicação da história na Itália, e também não foi corrigido no Brasil pela Mythos Editora, mas em Portugal o atento tradutor da história, José Carlos Francisco, tendo visto o erro entrou em contacto com o desenhador italiano, pedindo-lhe que corrigisse o lapso, pedido que Leomacs atendeu de pronto, enviando rapidamente a vinheta redesenhada. Depois, foi precisa a aprovação por parte da Sergio Bonelli Editore, aprovação essa dada imediata- mente por Mauro Boselli, o editor italiano de Tex, que inclusive felicitou esta correcção com as seguintes palavras: “BRAVO! Iremos usar esta vinheta nas reedições futuras desta história“.

Quanto ao erro em si, como alguns leitores já devem ter intuído, foi o facto do xerife Randy Nelson, veterano da guerra civil e homem de um só braço, numa vinheta da página 69 desta história ter aparecido milagrosamente com dois braços (nota cómica que não desafina uma aventura que faz da ironia um motivo recorrente), devido a uma distracção de Leomacs, distracção essa que não foi detectada pela redacção Bonelliana nas diversas fases de revisão, antes da publicação da história.

E foi assim que Portugal passou a ter uma vinheta “portuguesa” numa história de Tex!

(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa  das imagens, clique nas mesmas)

“OURO NEGRO”: UM NOVO VOLUME DA COLECÇÃO TEX ROMANCE GRÁFICO (EDITADA PELA POLVO)

Pela quarta vez, no espaço de dois anos, a Polvo Editora, uma chancela editorial de Rui Brito, publicou um Tex genuinamente português, até porque apresenta uma CAPA EXCLUSIVA PARA PORTUGAL. Ouro Negro, de Gianfranco Manfredi e Leomacs (pseudónimo de Massimiliano Leonardo), foi o volume eleito e o prestigiado desenhador italiano Leomacs esteve presente no evento texiano para abrilhantar o lançamento deste livro, que contém uma das mais especiais histórias de Tex feitas nestes 69 anos de vida editorial do Ranger.

Capa EXCLUSIVA – Ouro Negro, de Gianfranco Manfredi e Leomacs, Polvo 2017

A apresentação do livro Ouro Negro, quarto volume da colecção Tex Romance Gráfico, decorreu no dia 29 de Abril p.p., no auditório do Museu do Vinho Bairrada, e contou com a participação de Leomacs, Rui Brito e Mário João Marques, sob moderação de João Miguel Lameiras. Seguiu-se a venda do livro, permitindo aos seus compradores obter um autó- grafo do próprio desenhador, pois estava prevista no programa uma sessão de autógrafos.

O livro, com tradução de José Carlos Francisco, legendagem de Hugo Jesus e texto introdutório de Mário João Marques, tem um formato de 18,5 x 24,5 cm e uma encadernação brochada (capa mole com badanas de 12,5 cm), e foi confeccionado num papel de boa qualidade, estando enriquecido com ilustrações inéditas, seleccionadas pelo próprio Leomacs, e com uma capa realizada exclusivamente para a edição portuguesa.

Este livro tem novamente a particularidade de não ter sido publicado originalmente na série Tex Gigante, mas sim na série principal de Tex (tal como aconteceu com “O Segredo do Juiz Bean“), mais precisamente em dois volumes italianos, os números 654 e 655, editados pela Sergio Bonelli Editore em Abril e Maio de 2015, pelo que em Portugal foi também apresentado num único volume e num formato maior do que o original.

Tem ainda a particularidade de possuir uma vinheta “portuguesa”, já que uma das imagens da história foi redesenhada propositadamente por Leomacs para esta edição nacional, com a devida aprovação e parabenização da Sergio Bonelli Editore, pelo que será a única edição a nível mundial a possuir essa vinheta, que iremos dar a conhecer com mais detalhe num futuro post reproduzido, como este, do Tex Willer Blog.

O preço deste quarto volume da colecção (os anteriores volumes foram “Patagónia”, de Mauro Boselli e Pasquale Frisenda, “Tempestade sobre Galveston”, de Pasquale Ruju e Massimo Rotundo, e “O segredo do juiz Bean”, de Mauro Boselli e Pasquale Frisenda) é de de 16,99 euros nas livrarias, com IVA incluído, mas os sócios do Clube Tex Portugal tiveram a vantagem de adquiri-lo por 15 euros (1,99 euros de desconto sobre o preço em livraria), no decorrer da sua 4ª Mostra. Nesse evento, quem não é sócio pôde adquirir o livro “Ouro Negro” por 16 euros, beneficiando também de um desconto de 0,99 euros.

O livro também poderá ser comprado directamente ao editor Rui Brito, por sócios do Clube Tex Portugal que não puderam comparecer ao evento, inclusive os que residam fora de Portugal, pelos mesmos 15 euros, mas terão de adicionar 1,50 euros para despesas de envio (somente para território nacional). Se quiserem mais de um exemplar na mesma encomenda (deste ou de outro título de Tex), deverão adicionar 2,00 euros para despesas de envio (valor também para território nacional).

Para os sócios não residentes no nosso país, o valor dos portes a pagar depende do destino para onde será expedida a encomenda, pelo que também deverão contactar o editor Rui Brito para saber o valor total a pagar e a forma de efectuar o respectivo pagamento. O e-mail de contacto com Rui Brito é: ruibritobad@gmail.com.

Uma bela página do livro “OURO NEGRO”

Argumento: GIANFRANCO MANFREDI |  Desenho: LEOMACS
Polvo, 2017

(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa das imagens, clicar duas vezes sobre as mesmas).

ANADIA, A CAPITAL PORTUGUESA DO TEX, REALIZOU MAIS UMA MAGNÍFICA MOSTRA

Com a devida vénia, reproduzimos o notável discurso de abertura da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, proferido pelo seu Presidente José Carlos Francisco, no dia 29 de Abril último, perante numerosa assistência em que se destacava a presença de dois consagrados desenhadores italianos, Andrea Venturi e Leomacs, cujos recentes trabalhos estiveram expostos no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, durante o fim de semana em que decorreu este magnífico evento.

Aproveitamos a oportunidade para celebrar o facto de Anadia ter sido proclamada a Capital Portuguesa de Tex Willer, por decisão do seu Município, no mínimo inédita entre nós, em relação a um herói de Banda Desenhada. O Museu do Vinho Bairrada tem, a partir de agora, uma exposição permanente dedicada a Tex, que, associada a outros eventos, atrairá decerto mais visitantes do meio bedéfilo a esta região afamada pelo seu vinho, pelos seus leitões e pelas suas belezas naturais.

Anadia, 29 de Abril de 2017

Exma. Senhora Presidente da Câmara Municipal de Anadia; Exmo. Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal de Anadia; Exmo. Senhor Director do Museu do Vinho Bairrada, Senhores Vereadores, Caríssimos Mestres Andrea Venturi e Leomacs, Senhores Convidados, Excelentíssima Assistência e Órgãos da Comunicação Social Presentes.

Muito boa tarde a todos! Antes de mais nada, sejam bem-vindos a esta bonita e hospitaleira terra, que é Anadia, capital da Bairrada, região de cultura vitivinícola, gastronómica e de inúmeras outras qualidades!

Depois dos grandes sucessos ocorridos com as três primeiras Mostras do Clube Tex Portugal, realiza- das anualmente, precisamente aqui, no magnífico Museu do Vinho Bairrada, que contaram com as ilustres presenças dos prestigiados desenhadores Pasquale Del Vecchio, Pasquale Frisenda, Stefano Biglia, Massimo Rotundo e Maurizio Dotti, hoje reunimo-nos pelo quarto ano consecutivo, que constitui para este, que é o único Clube no nosso país dedicado exclusivamente a um herói da BD e o primeiro Clube oficial de Tex no mundo, um novo marco importantíssimo da sua ainda curta, mas já consolidada história. Por isso, é com grande prazer e emoção que inauguramos esta 4ª Mostra, que proporciona a presença dos consagrados desenha- dores italianos, Andrea Venturi e Leomacs.

Queria aqui deixar claro, em nome do Clube Tex Portugal, o quanto foi e é, também, importante para nós registar a sensibilização e carinho com que fomos apoiados desde o primeiro momento pelo Executivo Camarário, em especial pela Senhora Presidente da Câmara, Engenheira Maria Teresa Belém Correia Cardoso, aqui presente, agradecendo a sua ilustre e fundamental presença na inauguração desta 4ª Mostra.

Agradecemos também a distinta presença do Senhor Vice-Presidente da Câmara, Engenheiro Jorge Sampaio, que inclusive este ano foi determinante para que a Câmara Municipal de Anadia adoptasse o estatuto de Capital Portuguesa do Tex, acto este que reconheceu toda a nossa importância e que certamente viabilizará outros grandes feitos dele decorrentes.

Agradecemos igualmente toda a colaboração e disponibilidade do Sr. Dr. Pedro Dias, Director do Museu do Vinho Bairrada, no apoio a esta iniciativa cultural, possibilitando que a mesma se realize neste nobre e singular espaço.

Consideramos que, sem o apoio destes nomes, certamente seria inviável a promoção do nosso evento. Ressaltamos que é de extrema importân- cia a participação do Poder Público, que, combi- nado com a parceria desta casa, possibilitam a propagação da cultura e do lazer na sua melhor qualidade, marcas desta terra tão singular.

Gostaríamos também de agradecer as ilustres presenças de Andrea Venturi e Leomacs, sobretudo porque acreditaram nesta iniciativa portuguesa e um muito obrigado a ambos, por terem realizado expressa e exclusivamente para este nosso evento, duas belíssimas ilustrações do Tex no nosso Município. É uma honra sermos presenteados com tal carinho e reconhecimento. Segue ainda um agradecimento muito especial ao editor brasileiro Dorival Vitor Lopes e ao tradutor Júlio Schneider, da Mythos Editora, que vieram proposita- damente do Brasil para nos prestigiar, abrilhantando a nossa estimada Mostra.

Em meu nome pessoal, aproveito ainda para agradecer a todos os Sócios do Clube Tex Portugal, estejam ou não aqui presentes, porque este evento também só é possível devido à colaboração e disponibilidade individual, que somam e traduzem, no seu conjunto, o verdadeiro espírito texiano!

Para concluir, informo que, no final desta sessão, será servido um espumante de honra no espaço de Restauração e Cafetaria do Museu, para o qual ficam desde já convidados.

Obrigado a todos pela Vossa presença, hoje, em Anadia, e desde já desfrutem do nosso evento!

José Carlos Pereira Francisco
Presidente do Clube Tex Portugal

Mais informações sobre a 4ª Mostra do Clube Tex Portugal em: Clube Tex Portugal, Venturi e Leomacs em Anadia, 2017 por José Carlos Francisco

A PRÓXIMA MOSTRA DO CLUBE TEX PORTUGAL

Editor Dorival Vitor Lopes e tradutor Júlio Schneider acompanham Andrea Venturi e Leomacs na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal

Por José Carlos Francisco

O ilustre editor DORIVAL VITOR LOPES e o não menos ilustre tradutor JÚLIO SCHNEIDER já confirmaram a sua presença na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, aceitando o convite dirigido pelo Clube português, acompanhando assim as presenças de Andrea VENTURI e LEOMACS no evento a realizar nos dias 29 e 30 de Abril deste ano, na cidade de Anadia.

Júlio Schneider e Dorival Vitor Lopes, dois ilustres convidados da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal

Respondendo positivamente aos convites dirigidos pela Direcção do Clube Tex Portugal, o editor brasileiro de Tex Dorival Vitor Lopes e o articulista, redactor, tradutor e consultor editorial para as publicações Bonelli no Brasil Júlio Schneider, confirmaram a sua presença na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, juntando-se assim aos prestigiados autores italianos Andrea Venturi e Leomacs, internacionalizando ainda mais o grandioso evento marcado para o fim-de-semana de 29 e 30 de Abril, a realizar na capital da Bairrada, mais precisamente no mui nobre Museu do Vinho Bairrada, na pacata cidade de Anadia, que cada vez mais se consolida como a capital portuguesa da personagem Tex Willer.

Os dois membros do staff oficial de Tex no Brasil terão uma participação relevante no evento, já que serão dois dos convidados que participarão no workshop e na conferência dedicada a Tex que constam da programação oficial e cujas moderações estarão a cargo, como tem sido hábito, dos prestigiados críticos de BD Pedro Cleto e João Miguel Lameiras e em que também participarão os dois famosos desenhadores italianos.

Andrea Venturi participará na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, para autografar o seu Tex Gigante aos seus numerosos fãs portugueses

Recorde-se que cada um dos autores italianos, como forma de agradecimento por este convite português, fará uma magnífica ilustração de Tex exclusiva para o evento de Anadia. Os apreciadores de BD presentes nos dias 29 e 30 de Abril, na capital bairradina, receberão uma cópia de alta qualidade (em formato A4) destes magníficos desenhos, devidamente autografada por cada um dos seus autores, já que uma vez mais a Direcção do Clube Tex Portugal deseja oferecer uma recordação especial a quem prestigiar o evento marcando presença na bela cidade capital do leitão assado e do espumante.

Leomacs estará presente na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, onde fará alguns desenhos para gáudio do público

Para finalizar por hoje, informa-se que em breve serão divulgadas mais novidades (e que novidades…) a serem integradas nesta 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, um evento que atrairá à capital bairradina algumas centenas de fãs e coleccionadores não somente de Tex, mas de BD em geral, tal como aconteceu nos três anos anteriores, em que tivemos as presenças de Pasquale Del Vecchio (2014), Pasquale Frisenda (2015), Stefano Biglia (2015), Massimo Rotundo (2016) e Maurizio Dotti (2016).

Para fazer parte do Clube Tex Portugal cujos estatutos podem ser vistos aqui — e poder usufruir de todos os seus brindes e regalias, em que se incluem as revistas do Clube, é necessário pagar uma jóia de inscrição de 5,00 € e uma quota mensal de 2,00 € (2,50 € para não residentes em Portugal).

(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa  das imagens, clique nas mesmas).

A BD ITALIANA E JOSÉ CARLOS FRANCISCO (TRADUTOR E COLECCIONADOR DE TEX) EM FOCO NA NOVA REVISTA KARGA!

kargaJá se encontra à venda nos quiosques portugueses, desde o final de Fevereiro, a revista Karga! #2, uma nova publicação mensal — onde a BD (inclusive os fumetti) também é notícia — dirigida ao público jovem, entre os 14 e os 25 anos, e dedicada ao universo dos jogos, filmes, televisão, internet, anime, manga, comics e desportos radicais.

karga-1

A Karga! é uma revista com periodicidade mensal, editada pela Rossio Editora e dirigida pelos jornalistas João Vasco Almeida, que passou pela revista Focus, 24 Horas e TVI 24, e por André Júlio, que trabalhou nos jornais Público e Expresso. O design está a cargo de João Paulo Oliveira, que passou pelo Diário de Notícias e pelo semanário Sol.

Com um preço de capa de 3,50 euros e 68 páginas, a segunda edição da revista traz uma entrevista com José Carlos Francisco, um dos maiores fãs e coleccionadores mundiais da personagem Tex, entrevista essa intitulada ITÁLIA RULZ!, onde é destacada a sua faceta de tradutor das edições portuguesas de Tex e onde José Carlos Francisco explica o porquê de manter viva a chama da BD italiana em Portugal e fala também, entre outras coisas relacionadas com os fumetti, da sua amizade com o saudoso editor Sergio Bonelli e de quanto é que um coleccionador português gasta mensalmente com os fumetti [da SBE, publicados no Brasil pela Mythos] e do porquê de serem um produto caro.

Trata-se de um belo destaque dado aos fumetti, em especial a Tex Willer, já que a ilustrar a entrevista é mostrada uma fotografia de cerca de meia página [como se vê na imagem], onde José Carlos Francisco, com uma t-shirt alusiva aos 60 anos de Tex (ocorridos em 2008), exibe uma das mais luxuosas edições italianas deste famosíssimo herói da BD western, tendo parte da sua bela e valiosa colecção como fundo.

karga-2

Por tudo isto e muito mais, prezado leitor de Tex (e demais personagens dos fumetti) e amante da BD, não deixe de adquirir esta nova edição, datada de Março, da revista KARGA! Com filmes, séries, jogos, BD, manga, anime, música, lifestyle, outdoor, reportagens insólitas e tudo o que precisa saber, sem filtros, até porque na KARGA! #2 temos uma peça sobre a importância dos fumetti da Bonelli, com a citada entrevista a José Carlos Francisco sobre o impacto que estas BD tiveram e têm em Portugal.

Edição IMPERDÍVEL para todo o fã e coleccionador que se preze da banda desenhada italiana [e de Tex em particular]. A distribuição está a cargo da Distrinews II. Para saber mais sobre a revista KARGA! (a melhor revista do Universo) e estar a par das novidades, acesse o seu sítio na internet: http://ka.pt/rga

(Artigo reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas).

AS MÁSCARAS DE CARNAVAL DE TEX, CARSON E KIT

Texto de José Carlos Francisco

Das mais sóbrias às mais exuberantes, as máscaras de Carnaval são um elemento de diversão para os foliões de todas as idades, capaz de complementar qualquer fantasia de Carnaval.

O termo máscara, no entanto, é de origem italiana, e este, por sua vez, deriva do árabe e do latim medieval, onde designava uma criação fantástica, associada com um universo cómico e onírico. Antes de virar símbolo do Carnaval, as máscaras foram usadas de diferentes formas por várias culturas, estando presentes desde como elemento decorativo até um símbolo religioso, entre outras aplicações.

Durante muito tempo, ela foi associada com o universo do teatro e  passou a ser um elemento indissociável da representação teatral. No entanto, foi aqui na Europa que as máscaras adquiriram a conotação que lhes damos hoje, como um elemento festivo, que se usa principalmente no Carnaval.

mascara-de-carnaval-de-kit-carson-e-de-kit-willer

Como o passar do tempo, o seu uso foi-se popularizando cada vez mais, chegando a ser omnipresente em vários Carnavais ao redor do mundo. Esse costume teve o seu auge com os bailes de máscaras, que representam todo o glamour da festa de Carnaval. Com a aplicação da tecnologia, assim como com a influência da moda, hoje as máscaras de Carnaval são mais luxuosas do que nunca, sendo feitas de vários materiais e decoradas com cores, brilhos e texturas para não deixar ninguém imune à magia do Carnaval.

Sem dúvida que as máscaras de Carnaval continuam a ser o artigo preferido do povo. Os tempos passam e as máscaras evoluem consoante as tendências, sendo muito populares hoje em dia as máscaras inspiradas em personagens do cinema, televisão e política; mas para os fãs e coleccionadores de Tex a mais desejada é sem dúvida alguma a máscara oficial (porque devidamente autorizada pela editora italiana) de Tex Willer, o granítico Ranger de G. L. Bonelli e Aurelio Galleppini, ou em alternativa a máscara do seu parceiro de aventuras mil, Kit Carson, ou até mesmo a do seu filho Kit Willer, qualquer uma delas valiosa e rara, já que foram produzidas em 1978 e hoje somente são negociadas por valores entre os 50 e os 100 euros por cada uma delas!

Texto e imagens reproduzidos, com a devida vénia, do Tex Willer Blog – http://texwillerblog.com/wordpress/?wref=bif