OS 70 ANOS DE TEX NA IMPRENSA

O jornal O Correio da Linha deu grande destaque à comemoração dos 70 anos de Tex pelo Clube Português de Banda Desenhada (CPBD), em conjunto com o Clube Tex Portugal e a Sergio Bonelli Editore, evento que decorreu, como oportunamente informámos, em finais de Setembro, na cidade da Amadora, onde se localiza a actual sede do CPBD.

Estiveram expostas 30 pranchas de vários desenhadores de Tex, desde o lendário Aurelio Galleppini, que iniciou a série em 1948, a Bruno Ramella, um dos mais recentes membros da equipa que continua a dar vida ao “inoxidável” herói da BD western.

Na foto de cima, os principais animadores do evento: José Carlos Francisco (presidente do Clube Tex Portugal), Ricardo (Tex) Leite, Bruno Ramella (desenhador da Sergio Bonelli), Pedro Mota (presidente do CPBD) e Moreno Burattini (argumentista da Sergio Bonelli). 

Advertisements

BANG! BANG! BANG! TEX CHEGOU À AMADORA – 2

Bruno Ramella, desenhador da Sergio Bonelli Editore: «O que gosto menos de desenhar numa história de Tex, são os chapéus».

No passado sábado, 29 de Setembro, a sede do Clube Português de Banda Desenhada (CPBD), na Amadora, foi palco de uma concorrida sessão de abertura da exposição comemorativa dos 70 anos de Tex, com a presença de dois autores italianos que trabalham para a Sergio Bonelli Editore: Bruno Ramella (desenhador) e Moreno Burattini (argumentista). Seguiu-se um colóquio, a que assistiu também numeroso público, enchendo toda a galeria principal do CPBD (que foi pequena para conter tanta gente), com intervenções de Ramella e Burattini, secundados por Pedro Mota, do CPBD, José Carlos Francisco e Mário João Marques, do Clube Tex Portugal, que actuaram como apresentadores e intérpretes.

O animado colóquio terminou com uma longa sessão de autógrafos (quase três horas), em que ambos os convidados diligenciaram, com a proverbial afabilidade dos artistas italianos que nos têm visitado, corresponder aos pedidos dos seus numerosos fãs, realizando, sem exagero, dezenas de ilustrações (pois até Burattini quis mostrar o seu jeito para o desenho, uma forma de expressar, em contraponto à escrita, o temperamento bem-humorado que o caracteriza e que contagiou toda a assistência).

Desse memorável evento no CPBD, resultante de uma nova parceria com o Clube Tex Portugal, demos já notícia no nosso blogue — como podem (re)ver aqui. Hoje, mostramos também algumas fotos da exposição, constituída por 30 pranchas de desenhadores cujos nomes estão associados à longa saga de Tex, durante sete décadas de retumbante sucesso editorial, a começar pelo incontornável Aurelio Galleppini, primeiro criador gráfico de um dos mais icónicos heróis do Oeste na Banda Desenhada.

Estas fotos foram-nos também enviadas pelo nosso amigo Dâmaso Afonso, membro destacado do CPBD, a quem renovamos os nossos agradecimentos. Nos dois primeiros painéis, figuram imagens de La Mano Rossa, a aventura inaugural de Tex, em 1948, com guião de Gianluigi Bonelli. Nos seguintes, expõem-se pranchas de Erio Nicollò, Virgilio Muzzi, Raphael Marcello, Aldo Capitanio, Giovanni Ticci, Stefano Andreucci, Bruno Ramella, Michele Rubini e Alessandro Bocci.

Uma notável exposição, com muito mais para ver, como mostram as fotos das vitrinas, recheadas de livros, revistas, posters, figurinos, estatuetas e outras curiosidades texianas, itens raros e preciosos oriundos de colecções particulares.

BANG! BANG! BANG! TEX CHEGOU À AMADORA – 1

Foi um aguerrido Tex Willer (magistralmente caracterizado por Ricardo Leite) que deu as «boas vindas», de forma espectacular (como podem ver na imagem supra), aos visitantes da exposição comemorativa dos 70 anos do famoso Ranger, aberta ao público no passado sábado, dia 29 de Setembro, na Amadora. Não se ouviram balas a sibilar pelos ares, porque o Ricardo só usa pólvora seca… Mas foram muitos os cumprimentos, os beijos e os abraços trocados pelos presentes, entre os quais havia também um numeroso grupo feminino, o que já começa a ser habitual nestes efusivos encontros texianos.

Texto: Jorge Magalhães

Poucas vezes assistimos a uma concentração tão grande de pessoas na nova sede do Clube Português de Banda Desenhada (CPBD), sita na Avenida do Brasil, 52-A, Falagueira, Amadora. E isso deveu-se à cerimónia de abertura da citada exposição, que contou (como foi largamente noticiado por nós e pelo Tex Willer Blog), com a presença de dois ilustres convidados: os autores italianos Bruno Ramella (desenhador de Tex) e Moreno Burattini (crítico e argumentista, que por sinal também desenha). Depois de um animado colóquio, com a intervenção dos dois autores e de Pedro Mota, presidente do Clube Português de Banda Desenhada, José Carlos Francisco, presidente do Clube Tex Portugal, e Mário Marques, director da revista do mesmo Clube, seguiu-se uma sessão de autógrafos — a mais concorrida, também, que já se realizou no CPBD, pois houve quem tivesse vindo de muito longe (até do Brasil, pasme-se!) para conhecer os dois reputados autores italianos e ganhar, como recompensa da viagem, os seus autógrafos e desenhos.

Na impossibilidade de chegar perto deles, assediados por uma legião de fãs (alguns carregados de livros e revistas), sôfregos por conseguir um autógrafo e (ou) um desenho — e que, por isso, não deram tréguas a Ramella e Burattini, durante mais de duas horas —, pedi à Catherine, minha companheira, que aproveitasse uma aberta para obter também um almejado original, o que ela conseguiu, ao cabo de longa espera, como prova a ilustração que aqui reproduzimos, com uma amável dedicatória de Bruno Ramella.

Eu próprio estava rodeado de amigos que já não via há algum tempo (por isso, a conversa prolongou-se, como sempre acontece); e, no meio da confusão, nem sequer tive oportunidade de agradecer ao mestre italiano o seu precioso original. Fê-lo a Catherine por nós. Infelizmente, ela não conseguiu repetir a proeza com Burattini — do qual também desejávamos, como é óbvio, obter um desenho. Mas quando me despedi dos meus amigos, vi com pesar que ambos, Ramella e Burattini, já tinham partido, a caminho do restaurante onde ia realizar-se um jantar de convívio, no Cacém, com a direcção do Clube Tex Portugal e outros texianos presentes, e ao qual nós não pudemos comparecer.

A desilusão foi grande, mas paciência, resta-nos a consolação de os ter conhecido e ouvido — ambos, afáveis e bem dispostos, foram brilhantes nas suas dissertações, traduzidas oportunamente por José Carlos Francisco, que domina com fluência o italiano — e de possuir, agora, os seus autógrafos num dos cartazes do evento, e um magnífico retrato de Tex, sem chapéu (o que não é muito comum), pelo traço de Bruno Ramella

GRAZIE, MAESTRO!

Carlos Gonçalves, Pedro Mota, Bruno Ramella, José Carlos Francisco e Moreno Burattini, numa das salas do CPBD, onde está patente outra exposição.

As fotos anexas, excepto a primeira (extraída do Tex Willer Blog), com alguns instantâneos desta memorável reunião na sede do CPBD — para prestar mais uma homenagem ao «idoso» Tex Willer e a alguns dos seus criadores, através de 30 pranchas expostas na galeria principal do Clube —, foram-nos enviadas pelo nosso bom amigo Dâmaso Afonso, cujos valiosos préstimos queremos também agradecer.

Além das pranchas de 30 excelentes artistas que deram diversificada expressão gráfica às aventuras de Tex, durante a sua longa carreira de sete décadas, o CPBD expôs também, em vitrinas, alguns raros e curiosos itens texianos (livros, revistas, posters, cartazes, estatuetas, cromos, pins, etc), oriundos de colecções particulares. Essas imagens, a crédito igualmente de Dâmaso Afonso, serão apresentadas num próximo post.

SANDRO SCASCITELLI, OUTRO AUTOR ITALIANO NA REVISTA Nº 8 DO CLUBE TEX PORTUGAL

Por José Carlos Francisco (Tex Willer Blog)

A revista do Clube Tex Portugal, devidamente autorizada pela Sergio Bonelli Editore, neste seu oitavo número, a publicar ainda neste mês de AGOSTO, para além de ter a participação de Laura Zuccheri, com um desenho de Tex e Dinamite (que será publicado na contracapa) e devidamente dedicado ao Clube Tex Portugal, também contará com a ilustre presença do Mestre Sandro Scascitelli!

Sandro Scascitelli no seu estúdio

Para contribuir e valorizar ainda mais este 8º número de uma revista já fadada ao sucesso e que também contará, como já mostrámos, com as colaborações de Pasquale Del Vecchio, Fabio Civitelli e Moreno Burattini (para além das de vários sócios), SANDRO SCASCITELLI vem enriquecer este projecto nacional ao desenhar para o verso da capa da revista uma magnífica ilustração de Tex, devidamente dedicada aos amigos do Clube Tex Portugal:

O verso da capa da revista nº 8 do Clube Tex Portugal terá uma ilustração exclusiva de SANDRO SCASCITELLI, dedicada aos amigos do Clube Tex Portugal

Quem ainda não é sócio e queira fazer parte do Clube Tex Portugal – cujos estatutos podem ser vistos aqui – pode inscrever-se enviando um e-mail para José Carlos Francisco, sendo necessário pagar uma jóia de inscrição de 5,00 € e uma quota mensal de 2,00 € (2,50 € se não for residente em Portugal).

LAURA ZUCCHERI E A CONTRACAPA DA REVISTA Nº 8 DO CLUBE TEX PORTUGAL

Por José Carlos Francisco

A revista do Clube Tex Portugal, devidamente autorizada pela Sergio Bonelli Editore, neste seu oitavo número, a publicar no corrente mês de Agosto, terá, uma vez mais, DUAS versões para a capa, ambas da autoria de PASQUALE DEL VECCHIO [como já mostrámos neste blogue], consagrado desenhador italiano que foi a estrela presente na 1ª Mostra do Clube Tex Portugal, evento ocorrido em 2014 na cidade de Anadia.

Laura Zuccheri e uma prancha original do seu Tex Gigante, a ser publicado em 2019

Mas Pasquale Del Vecchio não é o único autor do staff de Tex a contribuir e valorizar este 8º número de uma revista já fadada ao sucesso e que ficará cada vez mais na história de Tex em Portugal (e não só), pois também Laura Zuccheri, a primeira mulher a desenhar Tex Willer, uma das mais recentes aquisições do staff de Tex, vem enriquecer este projecto nacional ao desenhar para a contracapa da revista uma magnífica ilustração de Tex e Dinamite, devidamente dedicada aos amigos do Clube Tex Portugal.

Ilustração de Laura Zuccheri para a revista nº 8 do Clube Tex Portugal

Depois de Andrea Venturi, Stefano Biglia e Maurizio Dotti na revista nº 1 do Clube Tex Portugal, Fabio Civitelli, Corrado Mastantuono, Lucio Filippucci e novamente Andrea Venturi na revista nº 2, Luca Vannini, Stefano Biglia, Pasquale Del Vecchio e uma vez mais Maurizio Dotti na edição nº 3, Enrique Breccia, Dante Spada, Bruno Brindisi e Alessandro Nespolino no quarto número, Maurizio Dotti, Alessandro Bocci, Michele Benevento e Pasquale Del Vecchio na edição nº 5, Massimo Rotundo, Alessandro Poli, Fabio Civitelli e Stefano Biglia na revista nº 6, Stefano Biglia, Alessandro Nespolino, Leomacs e uma vez mais Massimo Rotundo na edição nº 7, neste oitavo  exemplar teremos as colaborações de Pasquale Del Vecchio, Laura Zuccheri, Sandro Scascitelli, que também comprovam, deste modo, a importância e o carinho postos por todos estes consagrados desenhadores neste projecto editorial dedicado aos sócios do Clube Tex Portugal, não esquecendo a própria Sergio Bonelli Editore, com o seu contínuo apoio, e o argumentista Moreno Burattini, que uma vez mais escreve um texto EXCLUSIVO para a revista do Clube Tex Portugal!

Dedicatória de Laura Zuccheri para os amigos do Clube Tex Portugal

(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas).

A REVISTA Nº 8 DO CLUBE TEX PORTUGAL TERÁ DUAS CAPAS DE PASQUALE DEL VECCHIO

Texto de José Carlos Francisco

Julho marca o regresso da revista do Clube Tex Portugal, um projecto feito por sócios e dirigido a todos os sócios do clube português, focando os mais variados temas em redor de Tex e do western em geral.

As duas capas de Pasquale Del Vecchio para a revista nº 8 do Clube Tex Portugal

Este oitavo número terá 52 páginas (mais uma vez ultrapassa-se a barreira das 50 páginas) e apresenta novamente duas versões para a sua capa, desta vez do magnífico desenhador PASQUALE DEL VECCHIO. Em 2014 os leitores portugueses tiveram oportunidade de o conhecer devido à sua presença na 1ª Mostra do Clube Tex Portugal, realizada, como sempre, em Anadia, onde foi a estrela presente no evento português.

Del Vecchio respondeu prontamente às nossas solicitações, com informações, sugestões e com o envio de dois desenhos. A capa principal trará Tex Willer montado no seu fiel Dinamite. Mas com duas belas ilustrações optou-se novamente (tal como aconteceu com as revistas nº 2, que teve duas capas de Fabio Civitelli; nº 3, que teve duas capas de Luca Vannini; nº 4, que teve duas capas de Enrique Breccia; nº 5, com duas capas de Maurizio Dotti; nº 6, com duas magníficas capas de Massimo Rotundo; e nº 7, com duas belas capas de Stefano Biglia) por fazer a revista com duas capas diferentes, uma clássica com Tex cavalgando o seu bravo Dinamite, numa magnífica paisagem, e uma alternativa, com grande impacto visual, onde Tex tem o seu olhar na direcção do leitor.

Capa principal da revista nº 8 do Clube Tex Portugal

Neste oitavo número, para além das magníficas capas de Pasquale Del Vecchio, destaque ainda para as colaborações exclusivas dos consagrados autores Laura Zuccheri, Sandro Scascitelli, Pedro Mauro e Moreno Burattini (que nos fala do Tex de Claudio Nizzi).

Neste número regressam, para além dos textos do director Mário João Marques (com um extenso dossier dedicado aos 70 anos de Tex, um irresistível clássico sem idade), de José Carlos Francisco (que nos traz a reportagem da 5ª Mostra do Clube Tex Portugal), do Jesus Nabor (que escreve sobre a aventura texiana sem limites), do Sandro Palmas (que nos apresenta um texto de Galep a Tex), do Rui Cunha (com um extenso dossier intitulado “Yama contra Tex, vingança sem fim“), do Júlio Schneider (que escreve sobre os duelos míticos do Ranger) e do Jorge Machado-Dias (que conta a história de como descobriu o Tex).

Destaque ainda para homenagens desenhadas dos fãs António Carlos Moreira, António Lança-Guerreiro, Haris Varajic, Ronald Guimarães e Jorge Machado-Dias, e dos consagrados desenhadores portugueses José Pires e João Amaral, aos 70 anos de Tex, numa bela galeria de ilustrações exclusivas!

Capa variante da revista nº 8 do Clube Tex Portugal

Nota do Clube Tex Portugal a todos os sócios:

Como habitualmente, os sócios do Clube Tex Portugal (com excepção dos sócios menores) COM AS QUOTAS DO MÊS DE JUNHO PAGAS, terão direito a receber gratuitamente um exemplar da revista. Dado que este 8º número será publicado com duas versões da capa, o exemplar gratuito será o da versão com desenho de Tex e Dinamite.

Adicionalmente, sem qualquer limite, os sócios podem adquirir mais exemplares da revista, quer da versão oficial quer da versão alternativa, sendo o preço unitário de 10 euros.

Deste modo, todos os sócios que desejem adquirir exemplares extras da revista, devem informar desde já (e impreterivelmente até ao dia 27 de Julho) o Clube Tex Portugal, através do Tex Willer Blog ou escrevendo para José Carlos Francisco (josebenfica@hotmail.com), indicando o número de exemplares pretendido para cada versão da capa e procedendo ao respectivo pagamento na conta do Clube Tex Portugal ou através de Paypal [ver indicações mais abaixo], enviando o comprovativo desse mesmo pagamento.

  • Pagamentos internacionais por transferência bancária  devem ser feitos com todas as despesas a serem suportadas pelo ordenador, sem qualquer dedução no valor a receber pelo Clube, devendo ser creditada a conta PT50003600009910590434664 em nome do Clube Tex Portugal na Caixa Económica Montepio Geral – código swift: MPIOPTPL;
  • Pagamentos nacionais por transferência bancária  devem ser feitos para o IBAN PT50003600009910590434664
  • Pagamentos por Paypal devem ser efectuados para o e-mail cacem.moreira@gmail.com com todas as despesas a serem suportadas pelo ordenador, sem qualquer dedução no valor a receber pelo Clube.
(Post reproduzido, com a devida vénia, do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas).

“TEMPESTADE SOBRE GALVESTON”, COM UMA NOVA CAPA, EM EDIÇÃO HOLANDESA

Por José Carlos Francisco

“Tempestade sobre Galveston” foi uma aventura publicada na colecção italiana dos Tex Gigante, cuja arte coube ao consagrado desenhador Massimo Rotundo, sendo o texto da autoria de Pasquale Ruju.

“Tempestade sobre Galveston” – versão italiana

Uma aventura onde o coronel Woodlord administra ainda a sua plantação de algodão como nos tempos idos da escravatura. Na pista de um bando de ladrões de bancos, Tex e Carson acabam por se ver enredados numa elaborada intriga para encontrar um tesouro, herança de um famoso jogador de cartas e pistoleiro. Quem herda? Eleanor Hood, a fascinante proprietária do “Lucky Smile”, o “saloon” de Galveston, que aprendeu a crescer e fazer-se respeitar num mundo de homens. Decorrendo num período temporal de poucos dias, esta é uma história plena de peripécias, com reviravoltas sucessivas, num enredo onde os personagens servem para realçar as características clássicas de Tex: a invencibilidade, a intolerância contra os agressores e a capacidade de distinguir o certo do errado num só olhar. Enquanto decorre a acção, ao longe forma-se a tempestade do século que, com estrondo, se irá abater sobre a cidade!

“Tempestade sobre Galveston” – versão portuguesa

A história foi publicada em 2016 no nosso país, através da Polvo Editora, tendo Massimo Rotundo feito, na altura, uma capa exclusiva para Portugal, como podemos recordar vendo essa maravilhosa capa aqui mesmo, neste post. Pois bem, chegou a vez da Holanda publicar este Tex Gigante e o desenhador romano brinda também os coleccionadores holandeses com uma capa exclusiva, como se pode ver através da ilustração original da autoria de Rotundo.

“Tempestade sobre Galveston” – versão holandesa

Esta história (“Tempestade sobre Galveston“) foi, entretanto, publicada noutros países, como por exemplo no Brasil, através da Mythos Editora, mas somente Portugal e Holanda têm o privilégio de ter uma capa exclusiva para cada um dos países, algo que já é quase uma tradição em Portugal, onde a Polvo nos tem brindado com várias capas exclusivas.

“Tempestade sobre Galveston” – versão brasileira

(Texto e imagens reproduzidos do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa  das imagens supra, clique nas mesmas).

Nota do Era Uma Vez o Oeste:  Embora qualquer destas capas tenha o selo de excelência de um ilustre autor da BD italiana, não há dúvida de que a mais original é a que Massimo Rotundo realizou para a edição portuguesa da Polvo. Uma capa que se destaca, entre outros motivos, pelo cunho quase surrealista da composição, associando as cartas de jogar, com figuras que são personagens da história (e a volatilidade do jogo… e do destino, se quisermos ir mais longe), às nuvens negras (e à ameaça) da tempestade.