TEXTOS ESCOLHIDOS: OS PIONEIROS DO “WESTERN”

Nesta nova rubrica do “Era uma vez o Oeste”, onde o cinema também estará presente, apresentamos hoje, como introdução à época pioneira dos filmes de cowboys — tema aliciante que temos abordado noutros posts —, um artigo publicado no Mundo de Aventuras nº 277, de 25/1/1979 (há tanto tempo já!), que exprime bem o meu interesse pelo género, transformado em fascínio irresistível quando me habituei a ler livros e histórias aos quadradinhos com aventuras do faroeste (como a rapaziada correntemente lhes chamava) e a ver filmes com os melhores actores que já encarnaram — nesse ecrã mágico que tanto atraía os jovens da minha geração (e até muitos adultos) — as figuras arquetípicas dos destemidos desbravadores das árduas pistas trilhadas pelas caravanas ou dos invencíveis paladinos que impunham a lei e a justiça nas bravias cidades da nova fronteira.

Nascidos quase ao mesmo tempo que o cinema, os filmes de cow-boys tornaram-se não só uma das maiores fontes de rendimento dos primitivos estúdios de Hollywood, mas também a reconstituição viva — graças ao poder encantatório das imagens animadas, da música e da voz dos intérpretes (quando o som invadiu os ecrãs) — de uma gesta heróica em que vibram os acordes da marcha impetuosa dos pioneiros atraídos pelas míticas pradarias que se estendiam a oeste das Montanhas Rochosas e do nascimento de uma nova nação!

Advertisements

TEXTOS ESCOLHIDOS – 1

Não é muito vulgar, sobretudo nos tempos que correm — dado o desinteresse da juventude pelo western (vulgo, histórias de cowboys), salvo raras excepções, e a ausência absoluta de livros do género traduzidos para português, em contraste com o que acontecia há algumas décadas, graças a colecções de grande êxito publicadas por editoras como a Íbis ou a Europa-América —, ler artigos em jornais onde o tema é ressuscitado, por vezes com um entusiasmo e um conhecimento da matéria que nos deixam surpreendidos.

elmore-leonard-contosÉ o caso de um curioso texto assinado por Pedro Bidarra, com o título “O ponto cardeal da liberdade”, que fomos encontrar — durante uma última vistoria a um monte de jornais prestes a irem para a “sucata” — no Diário de Notícias de 4/10/2015, ocupando quase toda a mancha da última página deste conceituado periódico.

A propósito de um livro de contos do célebre autor de westerns e policiais Elmore Leonard, com várias obras de sucesso adaptadas ao cinema e à TV, Pedro Bidarra escreveu uma espécie de panegírico sobre um mito hoje quase olvidado (“a grande e épica contribuição americana para o imaginário global”), revelando muitas afinidades com o que os mais “maduros” fãs do género sentem desde que começaram a ler histórias aos quadradinhos e novelas de cowboys e a ver filmes com os maiores ídolos do western “made in Hollywood”, como John Wayne, Clint Eastwood, Roy Rogers ou Randolph Scott.

Nesta rubrica, onde apresentaremos sempre que possível textos igualmente interessantes, respigados de velhos jornais e revistas que guardámos por hábito (e com inevitável prejuízo do espaço), tem hoje lugar de destaque o eloquente artigo de Pedro Bidarra, retirado do esquecimento e do invulgar “escrínio” onde jazia.

dn-o-ponto-cardeal