A REVISTA #7 DO CLUBE TEX PORTUGAL

A belíssima ilustração de Stefano Biglia para a capa da Revista nº 7 do Clube Tex Portugal

Comentário de Jorge Magalhães

Foi decerto a melhor prenda de Natal que os texianos sócios do Clube Tex Portugal receberam o ano passado, durante o 4º convívio do Cacém, realizado em 9 de Dezembro, como oportunamente informámos.

Revestido das melhores galas, a começar por duas super-capas de Stefano Biglia — pois a revista teve outra dose dupla, com duas edições simultâneas —, esse número bateu mais um recorde, aumentando o volume de páginas para 52, sem aumento de preço (10 euros) na edição com capa alternativa.

Com um sumário tão copioso, recheado de textos texianos, entre os quais se destacam os de Mário Marques, Moreno Burattini e Thiago Gardinali (sem desprimor para os restantes), e de ilustrações dos mais diversos autores — em que avultam os trabalhos inéditos que figuram, como habitualmente, na contracapa e nos versos das capas, da lavra de artistas italianos de reconhecido talento, como Leomacs, Alessandro Nespolino e Massimo Rotundo —, dir-se-á que este nº 7 elevou ainda mais a fasquia de qualidade e de mérito já atingida pela sua equipa (sob a batuta de Mário João Marques e de José Carlos Francisco) e pelo Clube Tex Portugal.

As duas capas da Revista nº 7 do Clube Tex Portugal, ilustradas por Stefano Biglia

Mas, como lá diz o ditado, “não há bela sem senão” —  e a nós parece-nos, sem querermos arvorar-nos em críticos, por tudo e por nada, que num sumário tão denso, com tantas páginas de texto, embora profusamente ilustradas, faz falta uma história de Tex, como a que foi publicada no número anterior. Bem sabemos que não será fácil concretizar esse desidério em cada um dos próximos números — ideia que agradaria bastante aos seus editores e, em particular, aos leitores —, mas como o Clube Tex Portugal possui relações privilegiadas com a Sergio Bonelli Editore temos a certeza absoluta de que não hesitará em enfrentar o desafio que lhe lançamos, no sentido de conseguir apresentar, com mais frequência, uma história completa do mítico Ranger do Texas, justificando assim o aumento de páginas e consequentemente dos custos da impressão.

Mesmo sem acréscimo de preço na edição extra (que é vendida aos sócios), conteúdos como o deste nº 7 parecem remeter mais para a literatura do que para a banda desenhada. E Tex não é literatura — é BD, é o movimento pela sequência de imagens ilustradas, é acção em estado puro. Como diz outro conhecido aforismo: “Uma imagem vale mais do que mil palavras!” Seria, portanto, ouro sobre azul se uma das edições anuais da Revista do Clube Tex Portugal, com maior número de páginas e mais prosa, tivesse também uma história de Tex em banda desenhada. É por causa dessa “mais-valia” que, na nossa opinião, os nos 4 e 6 continuam a ser, até agora, os melhores de todos.

Dinâmica ilustração de Leomacs para a Revista nº 7 do Clube Tex Portugal

Advertisements

2 thoughts on “A REVISTA #7 DO CLUBE TEX PORTUGAL

  1. Muito obrigado pelo seu comentário a mais este número da nossa (de nós todos) revista, caro Amigo Jorge Magalhães. Partilho da sua ideia de termos sempre uma história de Tex em todos os números mas é uma pretensão difícil mesmo para quem tem ligações privilegiadas com o poder da SBE porque a Bonelli a aceitar a nossa pretensão sentir-se-ia na obrigação também de autorizar outras revistas do género (como por exemplo a revista do Tex Willer Fórum) a também publicar histórias curtas do Tex, mas volta e meia lá faço o pedido e certamente num dos próximos números lá virá mais uma autorização como aconteceu nas revistas nº 4 e 6… quem sabe se já na número 8? Vamos a ver…
    Entretanto informo que irei publicar este seu texto no Blogue do Tex para que chegue a mais texianos 😉
    Um abraço!

    Like

  2. Caro Amigo José Carlos Francisco,
    Eu não pretendo, nem certamente nenhum leitor texiano pretende, que a bela Revista do Clube Tex Portugal inclua uma aventura do nosso herói preferido em todos os números, porque todos sabemos que isso seria obviamente de muito difícil concretização. Não sugeri tal coisa no meu comentário, nem ela me passou pelo bestunto…
    O que me parece ideal é que a Revista possa apresentar um conteúdo mais diversificado, em números com mais páginas e muitos textos, como foi o caso do #7, harmonizando a parte literária (sempre de grande interesse) com histórias curtas de Tex (e já há tantas!), de molde a satisfazer ainda mais a sua grande legião de leitores e a atrair mais sócios para o Clube, sobretudo entre aqueles que não têm acesso às edições italianas.
    E esse desidério creio que estará ao alcance do Clube Tex Portugal, pelo menos nas tais edições especiais que se destacam pelo elevado número de páginas… visto que a Revista do Clube Tex Portugal não tem parado de crescer, com o aumento de colaboradores (e de leitores) de número para número!
    Um grande abraço,
    JM

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s