NOVA SÉRIE DO “FANDWESTERN”, DEDICADA A VÍTOR PÉON – VOL. 1: “UMA AVENTURA DE BUFFALO BILL”

buffalo-bill-peon-thriller296José Pires, especialista, como faneditor, na reedição de clássicos da “época de ouro” da BD portuguesa, inglesa e de outras origens — actividade que exerce há mais de duas décadas —, acaba de nos brindar, abrindo auspiciosamente o ano de 2017, com três volumes de uma nova série do seu Fandwestern, dedicada ao grande desenhador Vítor Péon (ver cartaz no final deste post), a quem se devem, como já assinalámos com o devido realce, as primeiras histórias de cowboys genuinamente realistas criadas por um autor nacional.

Mas o primeiro título desta nova série traz-nos uma absoluta novidade, pois reedita um western de Vítor Péon realizado, em 1958, para a revista inglesa Thriller Picture Library # 119, que era, até agora, inédito entre nós e ao qual José Pires deu o título “Uma Aventura de Buffalo Bill”, depois de o traduzir e legendar.

Trata-se de um magnífico trabalho, que já revela a maturidade de Péon no género western, depois de ter criado um dos seus maiores heróis nas páginas do Mundo de Aventuras: o icónico Tomahawk Tom, cuja popularidade chegou até às últimas décadas do século passado, num fenómeno de revivalismo sem paralelo na BD portuguesa.

capa-buffalo-bill-peon

“Uma Aventura de Buffalo Bill” (intitulada no original Buffalo Bill and the Spectre of the Plains) foi realizada por Péon durante uma estadia de alguns meses na Bélgica, ao serviço da Agência Internacional A.L.I, para a qual produziu vários trabalhos destinados ao pujante (nessa época) mercado inglês de publicações juvenis, entre eles uma série de episódios com outro célebre e lendário herói: Robin Hood (que E.T. Coelho, aliás, seguindo um trajecto idêntico, também ilustrou para o mesmo editor inglês).

Exímio em ambos os géneros, histórico e de cowboys, Péon estreou-se com estes trabalhos num exigente e competitivo mainstream onde campeavam, nessa época, alguns dos melhores desenhadores europeus e sul-americanos de histórias aos quadradinhos, nomeadamente Jesús Blasco, D. C. Eyles (autor da capa do Thriller #119), Frank Bellamy, Ron Embleton, Hugo Pratt, Alberto Breccia ou Arturo del Castillo (para darmos apenas alguns exemplos). E o seu sucesso foi tal que não tardou a prosseguir uma nova carreira no Reino Unido, onde se radicou durante alguns anos, primeiro em Dundee (Escócia) e depois em Londres, trabalhando para duas grandes editoras, a D. C. Thomson e a Fleetway.

buffalo-bill-peon-pag-3

Desfazendo alguns equívocos, esclarecemos que o autor literário desta primeira história de Péon para o mercado inglês, que na revista surge com o nome de Barry Ford, era uma talentosa argumentista, com vasta obra no domínio do western — que demonstrou conhecer profundamente —, chamada Joan Whitford. Feita a correcção necessária, porque não era norma nas revistas inglesas (salvo raras excepções) dar liberdade aos desenhadores para escreverem as suas próprias histórias, visto existir nas principais editoras um numeroso e prolífero núcleo de argumentistas, aqui têm mais duas páginas desta trepidante aventura de Buffalo Bill, que nos foram gentilmente cedidas por José Pires.

Este número do Fandwestern já se encontra à venda na Loja de José Manuel Vilela, Calçada do Duque, 19-A, 1200-155, Lisboa, mas pode também ser encomendado ao editor, por quem não mora na capital, bastando escrever para o e-mail gussy.pires@sapo.pt.

buffalo-bill-peon-pag-15

buffalo-bill-peon-pag-17

Muito em breve, apresentaremos mais edições primorosamente restauradas por José Pires, com os primeiros westerns de Vítor Péon publicados, na década de 1940, em revistas que deixaram saudades, como O Mosquito e O Pluto, onde este prolífico autor deu largas ao seu esfuziante talento, criando, num estilo dinâmico e emotivo, histórias de todos os géneros profusamente ilustradas, mas ainda com o texto à maneira antiga, isto é, em legendas didascálicas, imitando os comics ingleses dessa longínqua época.

Os interessados podem já adquirir os volumes 2 e 3, com os seguintes episódios: “O Juramento de Dick Storm”, segunda HQ de Vítor Péon publicada, em 1944, n’O Mosquito, e “Três Balas”, outro western cheio de acção, reproduzido d’O Pluto, revista editada por Roussado Pinto em 1945/46 e que durou apenas 25 números.

O volume 4, que apresenta “Falsa Acusação”, a história com que Péon se estreou n’O Mosquito, dois anos e meio antes, só sairá em Fevereiro, mas os leitores desta colecção podem (e devem) fazer já a sua reserva, pois o Fandwestern tem uma tiragem limitada e somente em casos que o justifiquem haverá reedições de números esgotados.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s